Pouso Alegre (MG) abriga hoje um dos maiores polos farmacêuticos do país, de acordo com a prefeitura municipal. Os empresários do setor já investiram cerca de R$ 150 milhões em ampliação e instalação de novas indústrias. Um grupo indiano da área farmacêutica se prepara para se instalar na cidade, o que vai gerar mais de 500 vagas de trabalho.

Com isso, a cidade tem se destacado na geração de empregos em Minas Gerais. As oportunidades de emprego são anunciadas por toda parte, da pastelaria no centro da cidade até no mural de recados da igreja. No Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged), Pouso Alegre aparece como a terceira cidade que mais gerou postos de emprego em todo o estado no mês de julho (último dado divulgado pelo Caged). O saldo entre demissões e admissões na cidade foi positivo, com 586 novos postos de trabalho.

No Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Pouso Alegre, de janeiro a junho do ano passado as vagas ofertadas por empresas foram de 956. No mesmo período deste ano, já são 1845. “Todos os setores na cidade estão crescendo de alguma forma. Isso atrai novos moradores pra Pouso Alegre, e claro, amplia a oferta de emprego”, afirma a supervisora do Sine, Luquésia Rodrigues.

“Hoje uma empresa precisa entregar seu produto com 24 horas”, diz o secretário de desenvolvimento econômico de Pouso Alegre, Rafael Prado. “A cidade está a 200 km de São Paulo, 350 km de Belo Horizonte, Rio de janeiro, e isso faz com que Pouso Alegre seja uma das principais cidades para investimento. Outra coisa é a mão de obra qualificada. Hoje colocamos no mercado cerca de 80 profissionais na área farmacêutica e em toda a área da saúde.

Um dos setores que mais contratou foi o da indústria farmacêutica. Atualmente, Pouso Alegre tem quatro grandes indústrias na área. Dois grandes grupos anunciaram ampliação das unidades já instaladas na cidade, além da indústria indiana de medicamentos prevista para chegar em Pouso Alegre.

Só na indústria em que o empresário Charles Mafra é diretor, são cerca de 50 contratações por mês, segundo ele. A maior fábrica do grupo é a de Pouso Alegre, com 1,3 mil funcionários e uma produção de 21 milhões de unidades de medicamentos. De acordo com o diretor industrial, a expectativa de crescimento para o ano que vem é de 40% e as contratações devem continuar. “Hoje estamos contratando uma média de 50 pessoas ao mês. Além disso, investimos em equipamentos de automação com alta tecnologia”, comenta o diretor.

Para garantir a mão de obra, a empresa oferece benefícios como creche para os filhos dos funcionários. Antônia Márcia Ferreira Sá, que tem uma filha de três anos, chegou na empresa como estagiária e hoje, conseguiu conquistar o cargo de gerente do setor de controle de qualidade. “Hoje eu tenho no meu departamento umas cinco mães que trabalham comigo e pretendem ficar aqui até aposentar”, afirma.